i

sábado, 31 de agosto de 2013

Segunda audiência destinada a discutir reivindicações dos operários rurais é definida

Operários querem reajuste salarial e melhores condições de trabalho Operários querem reajuste salarial e melhores condições de trabalho
Em razão da necessidade alegada pelo patronato de dispor de tempo hábil para analisar a proposta encaminhada pelos sindicatos e a Federação dos Trabalhadores na agricultura do Rio Grande do Norte (Fetarn), foi agendada para o dia 10 de setembro, uma terça-feira, a segunda audiência no seguimento da rodada de negociações em torno da pauta reivindicatória e salarial dos trabalhadores do segmento agroindustrial do Estado.

A informação é dada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Ipanguaçu, João Batista Moura de Oliveira, "João das Peças". A exemplo da primeira rodada de conversações entre as partes, ocorrida dia 20 de agosto corrente, quando houve a apresentação oficial da pauta, o segundo instante ocorrerá na sede da representação do Ministério do Trabalho e Emprego (TEM), na cidade de Mossoró, às 14h. 

A primeira audiência, terça-feira da última semana, dia 20, serviu somente para a apresentação oficial da pauta que, agora, vai ser analisada pelos patrões que, em seguida, encaminharão a contraproposta. "João das Peças" frisou que, para a segunda reunião, além da presença dos líderes sindicais, trabalhadores estarão sendo convidados para que possam testemunhar pessoalmente o que será tratado no diálogo com o patronato rural.

Sindicato espera sensibilidade da classe empresarial
O sindicalista "João das Peças" explica que a entrega da pauta, dia 20, serviu para assegurar a data-base para a categoria no caso de instalação de dissídio coletivo. 

O líder sindical rural disse esperar que os patrões possam ter a sensibilidade para exibir uma contraproposta admissível e não se repita o que, conforme frisou, ocorreu no ano passado. "Espero que não haja o que houve em 2012, quando [os dirigentes patronais] vieram com uma proposta indecente", disse.

Pontos 
Naquela ocasião, relembrou, o patronato rural propôs o congelamento da remuneração dos trabalhadores rurais. "Realmente foi um fato inaceitável e que mereceu imediato repúdio por parte dos sindicatos e da Federação", recordou. A pauta reivindicatória e salarial enumera mais de 40 cláusulas. Porém, o item que atrai maior atenção dos operários rurais é a proposta remuneratória. "Sem dúvida, o valor do piso é o que mais interessa aos trabalhadores", reconheceu o dirigente. A proposta sugerida pelos sindicatos foi de vencimento básico no valor de R$ 800,00.

O mossoroense

Nenhum comentário: