i

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Papa diz que gays não devem ser julgados nem marginalizados

papa gayO papa Francisco disse, numa das mais misericordiosas declarações já feitas por qualquer pontífice sobre os homossexuais, que eles não devem ser julgados nem marginalizados, e que devem ser integrados à sociedade. No entanto, reiterou o ensinamento da Igreja de que atos homossexuais são pecaminosos.
Em uma abrangente conversa de 80 minutos com jornalistas no avião que o levou de volta a Roma depois de uma semana no Brasil, Francisco disse também que o veto à ordenação de mulheres no clero é definitivo, mas que ele gostaria que elas assumissem papéis de maior liderança na administração e nas atividades pastorais.
O papa, na primeira entrevista coletiva desde sua eleição, em março, defendeu os gays contra a discriminação, mas repetiu o catecismo universal da Igreja Católica, segundo o qual a orientação homossexual não é pecado, mas os atos homossexuais são.
“Se uma pessoa é gay e busca Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la?”, disse o papa. “O catecismo da Igreja Católica explica isso muito bem. Diz que eles não devem ser marginalizados por causa disso (orientação sexual), e sim que devem ser integrados à sociedade”, afirmou ele

Nenhum comentário: