i

terça-feira, 18 de junho de 2013

Protestos se espalham pelo Brasil

São Paulo (AE) - Uma nova onda de protestos, maior que as anteriores e com um leque de reivindicações mais amplo, voltou ontem a tomar conta das ruas em diferentes pontos do País. Houve manifestações em 12 capitais – entre elas São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador – e também em Brasília. Um novo ato nacional está marcado para a quinta-feira (20), com protestos previstos, inclusive, em Natal.


Congresso Nacional, em Brasília: Manifestantes furaram o bloqueio policial na noite de ontem e invadiram a área externa do Congresso, aos gritos de “a-ha, u-hu, o Congresso é nosso”. Foto marcello casal / ae



Com o mote “Não são apenas 0,20 centavos”, além de se posicionar contra o preço do transporte público, os protestos criticaram, entre outros pontos, a condução da política brasileira, a corrupção e os gastos públicos com as obras para as Copa das Confederações e a Copa de 2014.

A maior das manifestações, em São Paulo, reuniu 65 mil pessoas, segundo estimativas do Datafolha. Foi a quinta na capital paulista.

Congresso

Em Brasília, mais de 7 mil pessoas realizaram um protesto na Esplanada dos Ministérios e no Congresso Nacional. Os manifestantes conseguiram furar o bloqueio policial e invadiram a área externa do Congresso, aos gritos de “a-ha, u-hu, o Congresso é nosso”.

Cartazes com os dizeres “Fora Renan” e “Fora Feliciano” apareceram no ato, referindo-se ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-RN) e ao presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o pastor evangélico Marco Feliciano (PSC-SP).

Da marquise do Parlamento - as cúpulas côncava e convexa do Senado e da Câmara - os manifestantes gritaram palavras de ordem e entoaram o hino nacional. A Polícia Militar do Distrito Federal entrou em confronto com o grupo, embora não tenham conseguido conter o avanço até as imediações do prédio do Poder Legislativo.

Assim como em outras capitais, a pauta da manifestação era ampla e difusa. Eles dizem ser contrários à Proposta de Emenda à Constituição, a chamada PEC 37, que retira poderes de investigação do Ministério Público, queixaram-se da corrupção e dos gastos públicos com os grandes eventos no País, como as Copas do Mundo e das Confederações. Eles também demonstraram ser solidários aos protestos que tomaram o País desde a semana passada contra o aumento da passagem do transporte público coletivo, principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Curitiba, Belo Horizonte, Belém, Salvador e Maceió também registraram manifestações. As marchas ainda se estenderam a cidades de médio porte do interior, como Londrina e Ponta Grossa, no Paraná.

O principal ponto de ligação entre os manifestantes continuou sendo o protesto contra a elevação da tarifa dos transportes urbanos. Em Fortaleza, os manifestantes protestaram próximo ao hotel onde a seleção brasileira está hospedada. A seleção joga amanhã na capital cearense, contra o México.

Tribuna do Norte

Nenhum comentário: