i

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Neymar marca no fim e Brasil vence


O Brasil cumpriu na missão de abrir vantagem contra a Argentina no início da disputa da edição 2012 do Superclássico das Américas. Ontem, a Seleção marcou 2 a 1 no maior rival, no estádio Serra Dourada, em Goiânia, em uma noite que reservou novamente intensas críticas ao técnico Mano Menezes. Enquanto o placar era de 1 a 1, os torcedores goianos pediram, inclusive, a volta de Luiz Felipe Scolari, que saiu recentemente do Palmeiras e tem no currículo o título mundial de 2002.
Thiago Bernardes/AEPaulinho atuou com desenvoltura e além de marcar levou preocupação para os defensores argentinos, como prêmio ainda marcou golPaulinho atuou com desenvoltura e além de marcar levou preocupação para os defensores argentinos, como prêmio ainda marcou gol

Neymar definiu o triunfo no último lance, em cobrança de pênalti. Os outros gols da partida saíram ainda no primeiro tempo,  Martínez abriu o placar para os visitantes, enquanto Paulinho igualou para o time canarinho.

O confronto de volta do Superclássico das Américas será realizado no dia 3 de outubro, na cidade de Resistência (Argentina). O Brasil carrega a vantagem do empate para conquistar o segundo título seguido. Logo depois, o time canarinho ainda faz amistosos contra Iraque e Japão em território europeu.

A Seleção tinha domínio total das ações, com ampla posse de bola. Enquanto isso, a Argentina apostava em forte marcação, com nove jogadores praticamente plantados no campo de defesa. Apenas o centroavante Barcos ficava um pouco mais à frente.

Mas a objetividade fez a diferença em favor da Argentina. No primeiro ataque, os visitantes alcançaram a abertura de placar. Aos 19 minutos, o corintiano Martínez começou a jogada no meio-campo e invadiu a área para completar com estilo o cruzamento da esquerda de Clemente Rodríguez. O goleiro Jefferson ficou totalmente parado na finalização do adversário.

Tudo igual

A resposta brasileira veio rápida. Aos 25 minutos, Neymar cobrou falta na direita e encontrou Paulinho dentro da área. Livre, o volante desviou para as redes com o ombro esquerdo, em um lance que gerou reclamações dos argentinos por um possível impedimento. Foi o segundo gol corintiano na noite.

A partir daí, até o intervalo, o cenário ficou o mesmo dos instantes iniciais. O Brasil tinha a iniciativa do ataque e não conseguia superar a consistente defesa da Argentina. Portanto, o panorama ficou aberto para a etapa complementar.

O tempo de intervalo ficou, porém, longe de renovar a energia das equipes em campo. O Brasil exagerava em jogadas individuais com Lucas e Neymar, situação que facilitava a missão dos marcadores argentinos.

Ao ver a dificuldade brasileira em criar, Mano Menezes mudou o armador da Seleção: Thiago Neves ficou com a vaga de Jadson. Pouco depois, Mano Menezes trocou o centroavante, com Leandro Damião na vaga de Luis Fabiano. A última tentativa de Mano Menezes reservou a entrada de Wellington Nem no lugar de Lucas. A partir daí, a torcida perdeu a paciência e começou a pegar no pé, com gritos de "Adeus Mano" e "burro".

Os protestos seguiram com os pedidos para a volta de Luiz Felipe Scolari ao comando da Seleção. No fim, os brasileiros buscaram o abafa derradeiro e alcançaram a virada aos 48 minutos do segundo tempo, com gol de Neymar, convertendo pênalti sobre Leandro Damião.

Fonte: Tribuna do Norte

Nenhum comentário: