i

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Prefeitura entrega Unidade de Saúde à moradores da comunidade de Língua de Vaca e põe fim à espera de quase 30 anos


A comunidade de Língua de Vaca, distante 12 km do centro de Ipanguaçu, recebeu no último sábado (09) uma nova Unidade da Saúde da Família. A inauguração da estrutura integra o conjunto de ações que a prefeitura tem desenvolvido para democratizar e fortalecer o acesso à saúde pública no município.

A unidade de saúde conta com um espaço totalmente equipado para atender a população e garantir o seu bem-estar. “Nosso desejo é fortalecer o Sistema Único de Saúde em todas as comunidades, porque nesses lugares a distância é um impedimento para um melhor atendimento. Essa nova Unidade de Saúde também vai estar empenhada em prevenir doenças e orientar os moradores”, afirma o prefeito Leonardo Oliveira.

Dona Maria Nilza Varela, 66 anos, moradora da comunidade de Angélica, disse que fica feliz pela nova unidade de saúde, “Ficou muito bom, com todas as máquinas novas. Fico feliz por esse novo posto, ele estava fechado há mais de 26 anos. Ajuda muito a nossa comunidade. Anos atrás, eu lembro bem, precisava viajar para meus filhos tomarem injeção. Chegava a pagar R$ 60, R$ 70. Agora não tem mais isso”, disse dona Maria Nilza.

Desde o ano de 2009, o governo municipal já ampliou, reformou e reativou postos de saúde nas comunidades rurais de Nova Descoberta, Tira Fogo, Baldum, Luzeiro, Pataxó e Angélica. Atualmente, estão sendo reformados e ampliados o posto de saúde da comunidade de Capivara e o Centro de Saúde Tibúrcio Freire, no centro da cidade.

De acordo com o prefeito Leonardo Oliveira, a prefeitura tem investido na oferta de variedade de serviços médicos, ambulatoriais, de imunização, educação em saúde e a garantia de medicamentos da atenção básica. “Estamos entregando a toda comunidade essa estrutura física, dotada de equipamentos novos para realizar atendimentos de qualidade para quem realmente precisa. Este é um trabalho constante, atingindo cada vez mais ipanguaçuenses”, explica Leonardo.


Nenhum comentário: