i

terça-feira, 24 de março de 2015

Prefeito de Ipanguaçu convoca defesa civil para avaliar riscos após a sangria do açude de Pataxó

Nas últimas horas açude recebeu grande volume de água. Convocação abre trabalhos para execução do plano de contingência.  
Foto: Ronicley Melo//Prefeitura 
As fortes chuvas que caíram sobre a região do Vale do Açu deste esse último sábado, 21, fizeram os açudes do estado atingirem a capacidade máxima, um deles é o açude público de Pataxó, localizado no município de Ipanguaçu, a 214 km de Natal.

O açude que tem capacidade de 24.500.000m³ de água teve a sangria registrada por volta das 8:16 da manhã desta terça-feira, 24. Ao longo do dia o reservatório vem registrando crescimento no volume de água. Isso porque as águas do açude no município de Angicos desaguam para o afluente. 

Foto: Niely Lopes// Cedida 
O prefeito Leonardo Oliveira, convocou uma reunião com todos os secretários, auxiliares e a comissão de Defesa Civil municipal. Reunião aconteceu nessa tarde de terça-feira, 24, na sede da Prefeitura. Na pauta o gestor municipal avaliou a situação que o município vivência nas últimas horas, como também discutiu a execução do plano de contingência contra possíveis inundações.

Ipanguaçu tem sido vítima das águas há décadas, a última cheia registrada foi em 2011. Mesmo com poucos recursos, a Prefeitura realizou no mesmo ano a limpeza do leito do assoreado Rio Pataxó. Os efeitos foram notáveis já que o número de desabrigados em 2011 cairão em 90% do total registrado em 2009. Embora o trabalho tenta reduzir os problemas, naquele ano mais de 160 famílias tiveram que deixar suas casas e mais de 2 mil famílias ficaram isoladas em 13 comunidades rurais, deixando ainda quilômetros de estrada danificadas, além de prejuízos que ultrapassaram os R$ 2 milhões.

Foto: Niely Lopes// Cedida
Segundo o coordenador municipal da Defesa Civil, Genilo Rodrigues dos Santos, o momento agora é estável, e requer atenção em busca de prevenir qualquer outra anormalidade. “Estamos em atenção, porque em menos 72h o açude recebeu um volume de água muito grande, já que ele estava com sua capacidade com menos de 28%. Mas não há alerta algum neste momento. O momento é de acompanhar criteriosamente”, analisa.

Segundo dados do pluviométrico do Instituto Técnica e Extensão Rural (EMATER) instalado no centro da cidade em parceria com a Prefeitura, as chuvas registraram desde o sábado. um volume de água 158,5mm. 

O prefeito Leonardo Oliveira, disse durante a reunião, que o município está à disposição da defesa civil para qualquer eventualidade, e espera que as chuvas que chegam ao município venham amenizar a estiagem dos últimos anos, na qual trouxe prejuízos as famílias do meio rural. “Ficaremos dando toda a assistência a defesa civil, a Secretaria de Assistência Social acompanhará todo esse momento em conjunto com as demais secretarias. As águas que chegam do Rio Pataxó, abastecerá ainda a lagoa de Ponta Grande, na comunidade de Porto, que esta bastante seca, acreditamos que com isso, as águas não venham atingir a cidade”, destaca o gestor. 

Foto: Niely Lopes// Cedida

Até às 16h30h da tarde desta terça, segundo a defesa civil local as águas do açude de Pataxó, registrava uma lâmina de 40 cm. Nesta quarta-feira, 25, a Defesa Civil volta a se reunir durante a manhã na sede da Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social (SEMTHAS).

Nenhum comentário: