i

domingo, 14 de julho de 2013

Superlotação nos hospitais públicos e privados não deve melhorar até 2014

Rafael Barbosa - Repórter da Tribuna do Norte

Número de leitos não será ampliado


As pessoas que procurarem por atendimento médico durante a Copa do Mundo em Natal podem enfrentar os problemas vivenciados pela população local diariamente. A atual situação de hospitais lotados tanto da rede privada quanto da pública não deve ser modificada até o início da competição, pois poucos leitos serão abertos.

Atualmente, segundo o site do Datasus, a capital potiguar dispõe de 2.325 leitos do Sistema Único de Saúde e outros 1.078 no setor privado. O número não ficará muito diferente até junho de 2014, porque poucas ampliações foram anunciadas. Hoje faltam exatamente 333 dias para o início do mundial e muito pouco se fez nos serviços de saúde para o recebimento das milhares de pessoas que vão prestigiar o evento. O secretário de Saúde Pública do Governo, Luiz Roberto Fonseca, disse que a expectativa é de que 84 mil turistas venham à nossa cidade para a Copa do Mundo, sem contar com as delegações das  seleções que vão disputar a taça. Quem ficar doente vai ter que disputar também as vagas nos hospitais.
No Estado, a esperança é que o Hospital da Polícia Militar, que está em reforma, fique pronto até lá, mas a demora da burocracia no processo licitatório tem tornado lentas as obras. O atraso na licitação para a compra da central de ar condicionado deixa as construções sem prazo de conclusão. Ao fim das obras, a unidade contará com 130 leitos clínicos, de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e de cirurgia. O número no Estado deve ser acrescido somente das 20 vagas a serem abertas no Hospital Estadual Doutor Ruy Pereira dos Santos. De acordo com o secretário da Sesap, os leitos devem ficar à disposição da população a partir dos próximos 30 dias, funcionando para o tratamento de traumas.

No setor privado, a única unidade que ainda vai receber obras de ampliação até o início do mundial de seleções é o Natal Hospital Center, no Tirol. A reportagem não teve acesso ao número de leitos já disponíveis, nem à capacidade que será atingida após as reformas. O responsável pelo setor que poderia repassar as informações está afastado da empresa por problemas de saúde. O fato é que os demais não vão aumentar a oferta de leitos, mesmo com a possibilidade de um acordo com a Fifa para servirem como “referências” nos atendimentos durante a competição.

O diretor do Hospital Central da Unimed, Antônio Araújo, chegou a afirmar que a unidade já foi escalada para integrar o time de hospitais de referência, assim como também fez Nelson Solano, diretor do Hospital do Coração. Mas a informação foi negada pelo coordenador da Saúde na Copa, o médico Maeterlinck Rego Mendes. O reumatologista disse que haverá uma reunião em Fortaleza nos dias 21 e 22 de agosto com todos os coordenadores das subsedes para definir o que será feito em cada cidade. “E a Fifa também deve inspecionar as unidades hospitalares para dar seu parecer”, completou.

No entanto, tanto Antônio Araújo quanto Nelson Solano afirmaram que os hospitais que representam foram selecionados. Com isso, pode ser que haja disponibilização de leitos exclusivos para a Fifa, caso seja solicitado pela organização. Solano negou a possibilidade, mas Antônio Araújo confirmou. “Acredito que eles vão exigir sim, mas ainda não definimos quantos serão”, disse Araújo. A informação também não foi corroborada por  Maeterlinck Rego. “Tudo será definido nessa reunião em Fortaleza”, enfatizou. Fato é que, caso haja mesmo a reserva de leitos pela Federação, a situação deve ficar ainda pior para o usuário natalense.

Leitos no RN

Leitos públicos: 2.325
Leitos privados: 1.078

Leitos clínicos de cardiologia privados: 25
Leitos clínicos de cardiologia públicos: 24

Leitos de clínica geral privados:158
Leitos de clínica geral públicos: 360

Leitos de cirurgia geral privados: 168
Leitos de cirurgia geral públicos: 196

Dados – datasus.gov.br

Nenhum comentário: