i

sábado, 12 de maio de 2012

As sobras da política “suja”

Estamos já próximo de um novo pleito eleitoral, muitos já contando os dias e horas para levantar a bandeira e sair às ruas. Mas espera só um instante isso tudo é pela folia? Ou pelo futuro do seu município? A resposta você mesmo já sabe!

Daqui a poucos meses teremos novos tormentos no cenário político para tentar desgastar os personagens do jogo. Os oposicionistas que aumentam os índices de descrédito das pessoas na própria importância da democracia, o melhor do antigo regime do coronelismo que é indiscutivelmente é o fim.

Muitos blogs anônimos tem o prazer de fazer o jogo sujo a mando dos grandes coronéis. Os impostores hoje em dia que não conhecem verdadeiramente nada além do seu próprio bolso fazem a verdadeiras desmoralizações. Mas será mesmo que eles sabem o que é bom ou ruim para nossa cidade? Ser cidadão, por exemplo, será que realmente reconhecem e exercitam esse feito?

No artigo “Ser cidadão em tempos difíceis” do jornal “A página da Educação” diz que “...Ser cidadão é ser pessoa, é ter direitos e deveres, é assumir as suas liberdades e responsabilidades no seio de uma comunidade democrática, justa, equitativa, solidária e intercultural. Tal como refere Juan Saez (1995), ser cidadão não é uma tarefa cómoda, senão muito complicada: as pessoas não nascem cidadãos, mas fazem-se no tempo e no espaço.Na verdade, não é fácil exercer a liberdade e a cidadania – ser pessoa e ser cidadão –, por isso exige-se uma luta sem tréguas para erradicar assimetrias e exclusões socioculturais e criar cenários de esperança realizáveis, fundamentados em valores e princípios éticos, que requalifiquem a democracia com cidadãos participativos e comprometidos.” Diz um trecho do artigo.
Foto: Blog  do toatoablog.com \\\ Imagem ilustrativa 

A cada dia vivenciamos as mais sujas conversas da política, na qual a oposição leva como troféu e se orgulham em dizer que o “povo tem memória curta”, às vezes tenho a impressão que tem mesmo viu, os mais intelectuais e as sobras da política “suja” voltando ao berço, observamos que ainda existem a hipocrisia e alienação.

Já fomos comandados por falsos sábios oportunistas. Hoje esses “sábios” devem está se revirando ao dormir, logo eles, que não acreditavam na democracia e julgava que nossa sociedade deveria ser comandada apenas por eles.

Meu caro leitor, você pode até se perguntar: Mas porque esse garoto está dizendo isso, e eu o respondo: Eu posso não ser ninguém, só mais um ser humano substituível, como diria Lefèbvre. Mas estou aqui para expressar o que eu realmente penso em relação aos usurpadores que sobreviveram do nosso suor, e não fizeram de Ipanguaçu uma cidade realmente prospera ao longo dos mais de 20 anos que estiveram no poder, e que hoje estão querendo voltar em pele de cordeiro para fazer de nos verdadeiros “alienados”.

Como disse o jornalista e Especialista em Gestão de Políticas Públicas, Raul Christiano em seu artigo JOGO SUJO OU POLÍTICA SUJA? “A meu ver a política não pode ser considerada uma causa suja, hipócrita e desrespeitosa de regras claras para o jogo, a negociação, a disputa, o entendimento e a lealdade. Acredito que através das boas práticas políticas vamos transformar o Brasil e o Mundo; mas é fundamental tentar limpar de uma vez por todas tantas mazelas [...]!”

Comungando com esse pensamento eu digo: Precisamos dizer a esses políticos sem escrúpulos que chega de tudo isso. Precisamos que todos os cidadãos permaneçam no diálogo, reflexão e ação, para que possamos reencontrar nossos valores.

A cada dia, vemos os palhaços que acreditam que nosso município é um verdadeiro picadeiro. Pessoas essas que querem fazer do município ou de um governo o cabide de empregos para seus familiares, que acreditam que podem construir suas fortunas sobre as famílias que realmente precisam. Vocês muito bem sabem e conhece o município que toda a fortuna hoje existente nessas famílias de oligarquias de décadas são fruto do sofrimento de milhares de habitantes. Para isso é importante dar um basta, neles que acreditam que são o dono do mundo. Eles que se dizem políticos são mais uns oportunistas, que usam a política para fazer carreira profissional e desfrutar os prestígios, as benesses públicas e as glórias do poder.

Não se iludam com um rosto de um senhor sorrindo, e com falsas promessas. Quem não conseguiu governar e prosperar uma terra em mais de 20 anos, não conseguira em 4 fazer tudo que passou, além disso com outra pessoa governando por traz.

Nenhum comentário: